quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Gravação do Criança Esperança no Projeto Axé, Programa da Rede Globo em Parceria com a UNESCO

Dia da ESPERANÇA, celebrado em todo o Brasil  os 29 anos de realização do " Criança Esperança".
16/07/2014 - Participação Arteducativa dos Educandos do Projeto Axé realizando atividades de Música, Capoeira e Dança na Unidade de Atendimento do Pelourinho e desfile nas Ruas do Centro Histórico de Salvador Bahia Brasil.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O Projeto Axé no Programa ESQUENTA

Domingo 17 de Agosto, às 13.00 h

o Projeto Axé estará no Programa ESQUENTA 

DA REGINA CASÉ - TV Globo 


Assista e divulgue por favor!


Cesare e Helmut

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O Projeto Axé ajuda a transformar vidas através da arte

Edição do dia 04/08/2014 no Jornal Nacional TV Globo


Nos últimos 29 anos, o Brasil se habituou a participar de um movimento solidário para mudar para melhor a realidade de crianças e de jovens em situação de risco. Esse é um dos desafios do Criança Esperança. Desde 1985, cinco mil projetos sociais já foram beneficiados. Um deles é o Axé, em Salvador.
Aprender a tocar tambor pode ser o primeiro passo. Para quem vivia nas ruas, muitas vezes sofrendo ameaças e aprontando, por que não a arte como caminho?
É assim que o Projeto Axé vem transformando vidas de crianças e adolescentes em situações de risco há mais de duas décadas.
No projeto, eles são acolhidos, alimentados, reaprendem a brincar, a desenhar os sonhos.
Repórter: No futuro você pensa em desenhar também?
David: Sim
Repórter: Que desenho?
David: De prédios.
Repórter: Então, você pensa em fazer arquitetura?
David: Sim
Todos são acompanhados por um grupo de educadores e profissionais das artes. A história de Luciana Xavier pode resumir bem a importância desse trabalho. No Axé ela aprendeu a desenhar peças de roupas e se tornou estilista. Hoje coordena as oficinas do projeto.
“Quando eu saí da rua e cheguei no projeto Axé eu comecei a vislumbrar outros sonhos, diferentes daquilo que eu tinha, na verdade um pesadelo", conta a estilista.
Criado pelo italiano Cesare La Rocca, o Projeto Axé é uma das mais de cem iniciativas que recebem ajuda do Criança Esperança pelo Brasil.
"Tem um efeito multiplicador impressionante. Porque durante todos esses anos o Criança Esperança criou a cultura da criança, começou a chamar os empresários, os indivíduos para a solidariedade", explica o presidente do projeto.
Já se vão 24 anos de trabalho e quase 15 mil crianças e adolescentes retirados das ruas.
Tão importante quanto transformar vidas por meio das artes é saber o que acontece com os jovens depois que eles saem das oficinas do projeto. Essa é uma tarefa para os educadores que se dedicam ao acompanhamento familiar.
Eles procuram saber tudo: a vida na escola, a rotina de quem costumava não voltar pra casa. Dona Maria Ivoneide Santos é só orgulho quando fala da neta que está de novo morando com ela.
“Meu sonho é ver minha neta realizar o sonho dela. O sonho dela é ser fisioterapeuta”, diz a avó. Fisioterapeuta e dançarina. Iasmin encontrou no projeto, além da chance de aprender, segurança. "De repente eu encontrei aqui uma família, porque todos me acolhem bem, os educadores me ajudam, é muito bom”, conta a adolescente.
Quase 90% cento dos jovens que são atraídos pelo projeto não retornam às ruas. E é aprendendo, descobrindo os encantos da arte que eles enxergam o futuro e a esperança.



segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Divulgue e assistam hoje a noite no Jornal Nacional da TV Globo

 2ª feira 4 de agosto

no Jornal Nacional, vai entrar no ar a matéria: 


PROJETO AXÉ/CRIANÇA ESPERANÇA

Divulgue por favor

                             Cesare e Helmut

terça-feira, 29 de julho de 2014

Tradição Junina no Projeto Axé, os Educandos dos grupos arteducativos de Dança, Capoeira, Música, Moda e Artes Visuais

   Em 23/06/14
A quadrilha junina, matuta ou caipira é uma dança típica das festas juninas, dançada, principalmente, na região Nordeste do Brasil. É originária de velhas danças populares de áreas rurais da França (Normandia) e da Inglaterra. Foi introduzida no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, possivelmente em 1820, por membros da elite imperial. Durante o Império, a quadrilha era a dança preferida para abrir os bailes da Corte. Depois popularizou-se saindo dos salões palacianos para as ruas e clubes populares, com o povo assimilando a sua coreografia aristocrática e dando-lhe novas características e nomes regionais.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

O Projeto Axé realizou a tradicional reza de Santo Antonio

No dia 13 junho, a Igreja Católica celebra o dia de Santo Antônio de Pádua, um dos santos mais populares, venerado não somente em Pádua, onde foi construída uma basílica que acolhe os restos mortais dele, mas no mundo inteiro. São estimadas pelos fiéis as imagens e estátuas que o representam com o lírio, símbolo da sua pureza, ou com o Menino Jesus nos braços, que lembram uma aparição milagrosa mencionada por algumas fontes literárias.
Santo casamenteiro. Assim é invocado pelas pessoas que desejam se casar e lembrado pelo nosso folclore. Não se sabe qual a origem dessa devoção. Talvez esteja ligada a algum milagre feito pelo santo em favor das mulheres, por exemplo, quando fez um recém-nascido falar para defender a mãe acusada injustamente de infidelidade pelo pai.
Mas há outro episódio com explicação mais direta. Certa senhora, no desespero da miséria a que fora reduzida, decidiu valer-se da filha, prostituindo-a, para sair do atoleiro. Mas a jovem, bonita e decidida, não aceitou de forma alguma. Como a mãe não parava de insistir, a moça resolveu recorrer à ajuda de Santo Antônio. Rezava com grande confiança e muitas lágrimas diante da imagem quando, das mãos do Santo, caiu um bilhete que foi parar nas mãos da moça. Estava endereçado a um comerciante da cidade e dizia: "Senhor N..., queira obsequiar esta jovem que lhe entrega este bilhete com tantas moedas de prata quanto o peso do mesmo papel. Deus o guarde! Assinado: Antônio".
A jovem não duvidou e correu com o bilhete na mão à loja do comerciante. Este achou graça. Mas, vendo a atitude modesta e digna da moça, colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro deixou cair uma moedinha de prata. O bilhete pesava mais! Intrigado e sem entender o que se passava, o comerciante foi colocando mais uma moeda e outras mais, só conseguindo equilibrar os pratos da balança quando as moedas chegaram a somar 400 escudos. O episódio tornou-se logo conhecido e a moça começou a ser procurada por bons rapazes propondo-lhe casamento, o que não tardou a acontecer, e o casamento foi muito feliz. Daí por diante, as moças começaram a recorrer a Santo Antônio sempre que se tratava de casamento.


Centro Projeto Axé de Defesa e Proteção à Criança e ao Adolescente

Av. Estados Unidos nº 161 Edf. Suerdieck 9º andar Comércio



Salvador-Bahia Brasil CEP - 40.010-020



tel: 55 71 3327-2262



Funcionamento: 8:00 às 12:00 e 13:00 às 17:00h



e-mail: centrodeformacao@projetoaxe.org.br